segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A Tal Bree Tanner ~ Vamos Falar Sobre a Bella


Oi galera. Eai? Como estão?
Vocês conhecem esse livro "A Breve Segunda Vida de Bree Tanner"?



Quem curte a saga Crepúsculo conhece bem e provavelmente já leu umas trezentas vezes.Bom... É a minha primeira vez lendo esse.Eu sei que não é um livro atual, mas eu queria ler algo envolvendo vampiros. Me crucifiquem.

Li em dois dias, porque é bem curtinho... Fazer o que, estava interessante...

E tem gente que lê livros em uma tarde e tal. Possuem poderes extraterrestres e não sabem ainda. Sim. Estou falando de você, dona Cah. Quando Asgard chamar me leve junto, tá?!

OKEY. Vamos lá!



Pra começar a história temos os recém-criados, as mortes em Seattle na história do livro três da saga até o ataque aos Cullen e é aí que toda a história se concentra: Nesse meio tempo.



Eu gostei da história.

Para aqueles que já estão fechando a página porque estou falando de Crepúsculo, calma, meu camarada, minha camarada. Eu estou dizendo que a tia Stephanie escreve bem. Não que sou team Edward ou Jacob.
Tenho uma mente aberta, apesar da enorme criticidade. E humildade. 

A história é contada em primeira pessoa e todos seus companheiros já são recém-criados...

Pausa: EU queria que a história tivesse começado com a transformação dela, mas depois que pensei nisso percebi que a tia Steph queria fazer um mistério sobre essa parte. Acho que ela queria deixar a explicação das sensações de todo o processo para a transformação da Bella.

Continuando...
...Aí eles estão em uma caçada como numa noite qualquer e uns companheiros mais desmiolados atacam uns carros com gente que eles não deviam atacar - em todo tempo eles deviam atacar outro tipo de gente. Aqueles que não fazem diferença se desaparecem ou não - mas eles não conseguem evitar. São jovens e há sangue fresco dando bobeira. Eles atacam mesmo.
Ela foge com um companheiro chamado Diego. Ele é um dos mais velhos e ela sabe que vai estar mais segura com ele.

Se há uma coisa que valorizo nessa garota é sua esperteza.

Eles se alimentam e vão passear. Sobre os telhados. Super normal.

Eles se aproximam rapidamente e ela sente que pode confiar nele.

Pausa: Isso eu achei um pouco forçado, mas o tempo passa diferente pros vampiros no livro, se percebe até a falta de menção do mesmo e estou contando com a idéias que eles passaram muito mais tempo junto do que parece ser no livro.

Continuando...
Ele é o tipo muito amigável então ela o segue. Sem pestanejar.
Eles chegam atrasados em casa, já quase de manhã e a galera já debandou. Acontece de vez em quando eles se mudarem porque todo mundo quebra a casa toda, queima, faz a loucura e tem que sair do lugar.

Como estava amanhecendo - e até eu tinha me esquecido da parte em que eles brilhavam e não queimavam no sol - eles ficaram com medo de se queimar, então submergiram à beira mar e foram para a caverna submarina que ele se escondia as vezes.

Aí eles passam muito tempo conversando e descobrem algumas coisas. Uma delas é que podem andar ao sol.

Eles conseguem achar o novo esconderijo tranquilo, mas tem uma coisa que ela fica pensando o tempo todo, como uma sensação. Ela já estava começando a se afastar da equipe. Já tinha possibilidade de escapar, mas não sabia. Foi o maior erro dela.

O engraçado é que você leitor, percebe isso, mas ela mesma não. Isso acontece por causa daquela questão de "seguir o líder", um instinto entre eles...Você fica o tempo todo pensando que ela poderia simplesmente sair fora e deixar essa de atacar um bando inocente...

Continuando...
Depois que eles chegam ela volta ao esconderijo de sempre, o lado do companheiro "Freaky Fred" que tem um dom. Como Bella e os Cullen. O dom dele pra mim é um dos mais excelentes.
Ele consegue se anular! Ele consegue fazer com que todo mundo não perceba sua existência e até fuja dele. Ele exala um cheiro horrível que faz com que todos o evitem e a esperta Bree usa isso a seu favor.

A história corre e no fim eles se encontram para ir até a clareira, onde os Cullen e a matilha está esperando.
É onde acontece um bilhão de coisas ao mesmo tempo e muitas traições.

Bree se vê correndo não para lutar, mas para alertar Diego e fugir, como o Fred conseguiu.

É Claro que no fim dá tudo errado, mas ter a versão dela da história é tão bom. Ter a versão clara e concisa, sem a influência emocional da Bella é excelente. Por isso foi uma boa história.

As emoções de Bree são lentas, breve e limpas. Ela vê a vida de uma forma muito mais real e a história se torna mais confiável.
Indico pra quem já leu Eclipse, é claro, mas quem não leu pode dar uma olhada. Também vai ser uma boa leitura.


Veja bem:


Depois de ler as aventuras da Breezinha que vivia escondida atrás do Fred Fedido, é importante dizer que voltei a ler Crepúsculo.
E...
Comecei a perceber que a Bella tem grandes distúrbios.

Me escute antes de estender os tacos de baseboll.

A primeira vez que li Crepúsculo parecia muito normal o jeitinho estranho dela, porque não havia reparado na forma que ela falava com o Ed (apelidarei graciosamente o Edward de "Ed". Para os amantes do vampiro, espero que não se importem).

A história te cativa. E não diga que não. Cativa sim.



GENTE..... Como eu não percebi o quanto essa garota é doente?!



Pára pra pensar: Ela sente falta dele o tempo todo, tem um ciúme maluco dele, não permite muitas, repito MUITAS vezes que ele se afaste dela até sei lá... Pra viver.
A vida dela se torna ele. Simplesmente ele.
Em alguns momentos dentro de uma conversa ela fica grilada com ele a toa. Emburra quando ele está protegendo ela... E aí você percebe o quanto a personagem é imatura. Não sei se foi essa a intenção que a tia Steph queria causar - e se for, ela é brilhante - mas percebi que se fosse de verdade...
Tadinha... O Ed já teria dispensado a neurótica a muito tempo.

Se percebe até em alguns suspiros que ele dá quando ela começa a fazer beicinho ou bater o pé por algo absurdo.
A personagem é suicida, ciumenta até o tacho e infantil.
Não acredita?

Tomemos o exemplo da festa de aniversário que os Cullen realizam para celebrar o 18º ano de vida dela. Sim, aquele que ela corta o dedo no papel:

Ela estava feliz pelo ato ABSURDAMENTE amável, pelo cuidado e felicidade dos Cullen ao fazer isso pra ela?
Não!
Ela estava pooooota da vida. Só porque ela não queria festa.
(Lembre-se, em todo o post estou usando os livros, não os filmes como referência)

Custava ficar feliz, agradecer a gentileza, ao menos tentar curtir a coisa toda?

Vou te dizer o que isso é: IMATURIDADE. É ser mal agradecida.

Tia Steph está de parabéns. Os fatos e a construção da história são tão bons que não se percebe quem a Bella realmente é.
Talvez essa imaturidade seja em relação à falta de experiência dela.
Tá, mas... Tem horas que ela exagera.

Não vou nem falar sobre a falta de senso de perigo dela.
É maluca.
E  essa é a única resposta a tudo que se deve ao fato do Ed ser lindo, perfeito, divo, hipnotiza-la apenas com um suspiro e soltar glitter com testosterona enquanto caminha.

OKEY. Ele pode ser perfeito, amiga. Não te culpo. Até eu fico assim com o que ele fala às vezes. Mas moça, vá viver. Vai construir um futuro.

A vida não é fácil. Pode ser que a fantasia faça parte, muito, no que tange ao viver com ao menos um pouco de felicidade, mas eu acho que a gente precisa acordar algumas vezes e ver que na vida real não há a possibilidade de viver pra sempre ao lado do Edward. Ele mesmo era o mais interessado que ela tivesse uma VIDA. Porquê nossa história não está escrita. Temos que correr atrás e perceber muito bem quem está ao nosso lado. Se estamos buscando um príncipe como o Edward ou um baita protetor como o Jacob então temos que ficar atentos.

Eu sei que me distanciei um pouco do tópico, mas o que eu queria dizer desde o começo é: Não façam beicinho. Sejam adultos e adultas.
Vamos valorizar os amigos, ajudar a fazer as pessoas ao nosso redor mais felizes por nos ter do lado. Vamos aproveitar a vida e sonhar, sim, mas manter o foco e procurar bater metas que nos tornem pessoas melhores e companheiras melhores para quem está do nosso lado, ser bons filhos e trazer honra à quem espera de nós.

Amém?!

Onde eu li?

Eu baixei nesse site aqui. É muito bom e confiável.

A pequena Bree tinha uma personalidade muito melhor que a da Bella.  Claro, na minha opinião.

O que você acha?
E a história, já leu?

Vamos lá. Defenda a Bella.

Já estou sentindo as pedradas.

Mas digo até o fim: Só estou alertando.
Beijos!


sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

TrueStory ~ Amigos?

OKEY. 

Senta, que lá vem a história!





Havia em um reino tão tão distante Jeroboão e Saramelina.
Eles eram muito, muito amigos.


Se conheceram na escola preparatória para Cadetes do Ar do Reino.
No começo perceberam apenas que tinham realmente muitas coisas em comum, mas nunca se interessaram um pelo outro.
Nunca foi algo em cogitação.
Ao menos para Saramelina.

Havia vários amigos deles em comum, assim, podiam saber o que estava acontecendo um com o outro sem precisar se comunicar pessoalmente, MAS, eles se comunicavam. Acabavam dando um jeito de se comunicar.

Saramelina se tornou uma confidente com o passar dos anos e, se homens acreditam em melhores amigos, esta sim era uma quase melhor amiga, pois se falavam de forma muito intima, afinal, eram amigos de longa data.

Um dia, estavam no mercado Grandioso de Filmes - eles tinham esse gosto em comum - quando Saramelina começou a perceber que Jeroboão começava a se portar de forma estranha. Estranhíssima por sinal.
Ele não fixava mais o olhar em Saramelina. Nem em seus olhos, nem nela: Ele fixava os olhos no horizonte.
Ele falava diferente, e sem perceber, dava a entender coisas em suas frases que Saramelina ignorava por pensar que era uma fase estranha para ela. Que não fazia sentido, mas isso era um sinal.
Ele não era mais engraçado como antes.
Ele não era mais amistoso como antes.
Ele não era mais amigo como antes.

Ela o via como sempre, sempre foram amigos, sempre gostaram de ser e é o que eram.
Isso não era fingimento. Ele tinha namorada. Não existia motivos para pensar algo estranho!
Ela realmente não entendia o que se passava...

Até que ela percebeu um dia que quando ele dizia que realmente tinha terminado com Fubilersmina, era verdade...

Em uma ligação com Jeroboão, deitada na cama, ele disse coisas que vieram a entender seu novo alvo.

Não era possível.
Ela não podia vê-lo daquela forma.
Foram muitos anos de amizade.
Não se pode desconstruir uma imagem construida por anos.

Talvez Jeroboão não entendesse isso,
ou Saramelina não conseguisse expressar de forma clara.

Então a ligação extremamente fixa que tinham se desfez.
Assim. Tão rápido quanto tinha começado.
Uma amizade pode terminar assim tão rápido?

Então eles foram se afastando, pouco a pouco.

Saramelina ainda sente falta do amigo, mas ele já estava longe há tempos, então ela não sente tanto quanto antes.
Não sente tanto, mas ainda sente falta.

Jeroboão ainda procura de vez em quando por Saramelina.
Mas não é como antes.
Na verdade ele não procura mais. Apenas espreita.
O como antes não vai existir mais... Provavelmente.

Como será que essa amizade um dia findará?
Ainda serão amigos no fim?